Uncategorized

Na Bahia, desabrigados pela chuva vendem doações entregues pela prefeitura nas redes sociais

Um grupo de desabrigados pelas chuvas, que foi beneficiado com o programa Itapetinga de Volta para Casa, estava comercializado os produtos...
Leia mais
Uncategorized

Caixa paga Auxílio Brasil e vale-gás a partir desta terça

O pagamento do Auxílio Gás e do Auxílio Brasil começa nesta terça-feira (18) em todo o país. O saque pode ser feito...
Leia mais
Uncategorized

Araripina: Jovem é assassinado a tiros próximo ao Hortigranjeiro

Foto: reprodução redes sociais Um jovem foi assassinado a tiros na noite desse sábado (15), próximo ao Hortifrutigranjeiro, de Araripina,...
Leia mais
Uncategorized

Araripina: Polícia apreende cocaina no Alto do Adelino; traficantes fugiram

Um ponto de venda de drogas foi estourado nesse sábado (15), na Rua São Geraldo, bairro Alto do Adelino. De...
Leia mais
Uncategorized

Araripina: Homem é preso após realizar assalto com simulacro de arma de fogo

Foto: ilustração Outro envolvido no roubo que aconteceu nas proximidades do SESC ler, não foi localizado pela polícia Um homem...
Leia mais
Uncategorized

Principais reservatórios do país têm melhor cenário hídrico desde agosto de 2020

Os reservatórios localizados no Sudeste/Centro-Oeste do Brasil apresentaram 35% da capacidade máxima na primeira quinzena de janeiro. É o maior...
Leia mais
Uncategorized

Problema dos combustíveis não era ICMS, diz presidente de Fórum de Governadores

O governador do Piauí, Wellington Dias, que preside o Fórum Nacional de Governadores, afirmou que os estados decidiram retomar a...
Leia mais
Uncategorized

Mega-sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 16 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.444 da Mega-sena, sorteadas nesse sábado (15) em São Paulo. Os números foram 15,...
Leia mais
Uncategorized

Justiça dá prazo para Governador Paulo Câmara responder sobre reajuste do IPVA

O desembargador Erik de Sousa Dantas Simões, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), determinou, hoje, que a Procuradoria-geral do...
Leia mais
Uncategorized

Estados decidem encerrar congelamento de ICMS de combustíveis

Por maioria de votos, os governos estaduais decidiram encerrar o congelamento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços...
Leia mais
Uncategorized

Variante Ômicron já predomina em Pernambuco, diz SES

Foto: Miva Filho/SES-PE Um novo relatório de circulação de linhagens de SARS-CoV-2, elaborado pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz-PE) e divulgado...
Leia mais
Uncategorized

Pernambuco vacina primeira criança entre 5 e 11 anos

Foto: Miva Filho/SES-PE divulgação arquivo Maria Antônia Oliveira, de 11 anos, foi a primeira criança pernambucana na faixa etária de...
Leia mais
b22b4e93-0467-467c-a1aa-23aaeff4d789

Por 312 votos a 144, Câmara aprova em primeiro turno texto-base da PEC dos Precatórios

G1

Por 312 votos a 144, a Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira (04), em primeiro turno, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios.

A proposta recebeu somente quatro votos a mais que o necessário (308) para aprovação de uma emenda à Constituição.

A PEC é a principal aposta do governo para viabilizar o programa social Auxílio Brasil — anunciado pelo governo para suceder o Bolsa Família.

A proposta adia o pagamento de precatórios (dívidas do governo já reconhecidas pela Justiça), a fim de viabilizar a concessão de pelo menos R$ 400 mensais aos beneficiários do novo programa no ano eleitoral de 2022.

Os parlamentares ainda precisam votar os chamados destaques (sugestões pontuais de alteração no texto principal), o que deve acontecer ainda nesta quinta ou na sexta-feira (06), segundo informou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), defensor da proposta.

Por se tratar de emenda à Constituição, o texto terá ainda de ser aprovado em um segundo turno de votação. Se isso acontecer, seguirá para o Senado, onde também necessitará de aprovação em dois turnos.

Acordo

Um dos pontos mais polêmicos do texto é a flexibilização do pagamento de precatórios do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) — atual Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

A estimativa é que a dívida da União com o Fundef para o ano que vem gira em torno de R$ 16 bilhões. Parte desses recursos seria destinada aos professores, em forma de abono.

Para viabilizar a votação nesta quarta-feira (3), principalmente da oposição, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e Motta articularam uma mudança para parcelar, em três vezes, as dívidas ao Fundef — 40% em 2022, 30% em 2023 e 30% em 2024.

A mudança no texto convenceu o PDT, partido da oposição que tem 24 deputados, a orientar a favor da matéria. Mas o diretor-executivo do Instituto Fiscal Independente (IFI), Felipe Salto, chamou a alteração de “conto do vigário”.

“O Fundef é priorizado na PEC (três parcelas, sendo a primeira de 40%), sim, mas tem uma fila a ser respeitada e há um limite sendo instituído pela mesma PEC. Se algum deputado foi sensibilizado por este argumento, fica aqui essa informação”, escreveu em uma rede social.

A alteração no relatório é vista por alguns parlamentares como uma manobra no regimento, uma vez que, segundo eles, já não era possível fazer alterações de mérito nesta fase de tramitação. No entanto, em entrevista nesta quarta-feira (3), Lira sustentou que a alteração é regimental.

“Nós não fazemos nada antirregimental”, disse. “Até o início da votação, o relator pode apresentar [emendas]. Se não, nós não estaríamos fazendo”, disse o presidente da Câmara.

Quórum

Ao longo do dia, Lira teve de enfrentar a dificuldade de alcançar um quórum alto para a análise da matéria.

Para garantir um número expressivo de deputados em plenário, Lira esperou até o início da noite para iniciar a votação.

Além disso, um ato da Mesa Diretora permitiu a votação de deputados que estivessem em missão oficial, para permitir a participação de quem participa da COP26 em Glasgow, na Escócia.

Por se tratar de uma alteração na Constituição, são necessários pelo menos 308 votos para aprovação da matéria. Com isso, votações polêmicas, em geral, dependem de um grande número de deputados na Casa para garantir a aprovação.

Deixe um comentário